terça-feira, 5 de novembro de 2013

Um sabor diferente...

Uma calma e cinzenta manhã de novembro, a de hoje...

Decorre novembro,  cujo nome se deve à palavra latina novem (nove), dado que era o nono mês do calendário romano, que começava em março. No calendário gregoriano - o nosso -, de origem europeia, corresponde, como é sabido, ao décimo primeiro mês.
Gosto de todos os meses em geral, mas quem me conhece bem, sabe da minha preferência pelos meses da primavera e do verão. Depois, confesso, há outro - NOVEMBRO - pelo qual me sinto particularmente tocada. Atrevo-me a dizer que tem para mim "um sabor diferente". É que  para além de corresponder ao mês em que EU abri os olhos para a vida e para o mundo, sinto-o como um tempo sereno, doce e simpático, com características muito especiais, que, a meu ver, fazem do outono uma eclética estação do ano.
Passo a explicar. O verão começa a despedir-se em outubro e só se recolhe lá para os fins de novembro. Mas o frio, o vento e a chuva também não se inibem de aparecer e desaparecer, esporádica e sorrateiramente, fazendo dele um mês diferente. Não é em vão que na gíria popular se diz que "Novembro é quente no começo e frio no fim."
Por sua vez, é um mês muito calmo, que  apela à paz, à   tranquilidade e à união familiar. Que bom nos sentarmos em redor da boa mesa a saborear a gastronomia típica da estação.  Que bem que sabem o doce de tomate, a marmelada "clarinha", os marmelos cozidos em calda de açúcar ou assados com vinho do Porto, tudo confecionado - de preferência pelas avós - com muita mestria, dedicação e amor!!
E  que tal encontrar na rua aquele fogareiro onde crepitam e de  onde saltam, para além de um fumo esvoaçante e aromático, as deliciosas castanhas assadas que, envoltas em papel de jornal, nos aquecem as mãos e... a alma!?
E que dizer da festa e dos habituais magustos de São Martinho passados em ameno convívio com os amigos e /ou a família!?
E observar, especialmente ao fim do dia, as deslumbrantes paisagens outonais, de vários tons, num degradé que o pôr do sol lhes confere, e que quase nos extasiam!?

Não serão estas, para além de outras que não refiro, para não ser extensa - que extensa já vai a prosa -, razões mais que suficientes para que se sinta um carinho especial pelo mês que ora decorre?? EU SINTO!!
Afinal este é o "meu mês"... que, felizmente, se repete por mais um ano.
A vida é uma dádiva extraordinária! Sinto que é meu dever agarra-la com toda a força e energia e continuar nesta caminhada durante todo o tempo que estiver reservado para mim!

Já agora, para desmistificar um pouco a sagitariana romântica assumida - que eu sei que sou - deixo-vos com Vinícius de Morais, com o qual concordo, quando diz e... canta:
 
"AS MULHERES SAGITARIANAS
SÃO ABNEGADAS E BACANAS
MAS NÃO LHE VENHAM COM GROSSURAS
NEM INJUSTIÇAS OU CENSURAS
PORQUE ELA CUSTA MAS SE ESQUENTA
E PODE SER MUITO VIOLENTA
AÍ, O HOMEM QUE SE CUIDE
- TAMBÉM QUEM GOSTA DE CENSURA".