sábado, 8 de novembro de 2014

Li no Correio da Manhã e partilho...

porque subscrevo na integra este artigo de opinião do Professor Paulo Morais sobre o "Caso BES"


(B)EScândalo

Com tantos negócios obscuros, e por isso rentáveis, como chegou o BES à falência? Salgado tem de revelar o rasto do dinheiro.

A falência do BES, o mais poderoso banco do regime, apanhou todos de surpresa. Um banco sólido, com ligações políticas dominantes, a que todos atestavam idoneidade, desde o Banco de Portugal (BdP) ao Presidente da República. De súbito, a falência, sem qualquer causa percetível. O Parlamento vai agora promover um inquérito ao caso BES. Será que consegue esclarecer o enigma da inesperada falência? E será que quer?
Este é um caso em que nada faz sentido. Em primeiro lugar, não se entende como foi possível o banco falir. Pois se o BES esteve sempre envolvido nos maiores negócios, como ficou sem dinheiro? Foi o banco das parceiras público-privadas, que lhe garantiram rentabilidades milionárias. O grupo que lhe estava associado ganhou milhões nos casos "Monte Branco" e "Vargem Fresca", intermediou os subornos na venda de submarinos alemães a Portugal. No Brasil, foi a instituição liderante no escândalo de financiamento partidário "Mensalão". Foi ainda o BES-Angola, a par da sua associada Escon, que teve papel central nos negócios de petróleo de Angola e na lavagem de dinheiro das elites locais. Com tantos negócios obscuros, e por isso mesmo mais rentáveis, como chegou o BES à falência? Para onde foram os lucros destas atividades? Ricardo Salgado tem de revelar o rasto do dinheiro. E o Estado tem de o confiscar.
Uma outra questão que exige um esclarecimento cabal tem a ver com a solução encontrada pelo Banco de Portugal, que decidiu dividir o Banco em "bom" e "mau". No banco mau ficariam os problemas, os ativos tóxicos, o crédito malparado, participações duvidosas, investimentos sem retorno. Tudo para que o outro, o "bom", agora batizado de "Novo Banco", beneficiasse de saudáveis "ratios" financeiros e todos os depósitos ficassem garantidos. Mas se o "Novo Banco" fica financeiramente saudável, por que razão beneficiou ainda duma injeção de capital de cinco mil milhões? O governador Carlos Costa tem de explicar qual o destino dado a estas verbas.
Há uma questão final, a mais inquietante: num escândalo desta dimensão, que gerou um dano à sociedade de milhares de milhões, porque não há ainda contas congeladas nem património confiscado? E porque não há ainda ninguém preso?

                                                                   (Paulo Morais - Professor universitário)

Meu pobre País...
                                           

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Novembro espreita...

Novembro está aí! Temos de lhe abrir a porta! Impensável não fazê-lo... O calendário não permitiria... Não é de todo o meu mês de eleição, mas vou recebê-lo de bom grado e pedir-lhe que agarre a bonomia que se fez sentir neste Outubro que ora termina.
Bem sei que não será muito provável o bom tempo... mas quem sabe  não vamos ser surpreendidos  pela positiva?!
Ok! A chuva faz falta! E se o sol continuasse a iluminar os nossos dias ficando a chuva reservada somente para as noites??
Sonhar é fácil e faz bem à alma!!  Sonhemos então...
Com bom tempo ou chuva, frio ou vento, aproveitemos tudo o que de bom Novembro tem para nos dar e vivamos cada dia e cada momento com intensidade. Oxalá, o seu "saco"  venha recheado de muitos e bons motivos que nos façam sorrir em cada um dos seus dias!

Para já, um feliz SÃO MARTINHO para todos vós!

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Pequenos/grandes diálogos...

- Amor, sabes que a avó gosta muito de ti?
- Sei, avó!... A avó já me disse IMENSAS vezes! ...

Foi esta maravilhosa resposta que obtive do meu neto Vicente à pergunta que lhe fiz. Exactamente a que eu mais desejava ouvir.
Por vezes, a importância dos diálogos com crianças não está na quantidade de palavras proferidas mas no peso que  podem ter no  harmonioso desenvolvimento dessas mesmas crianças.

domingo, 12 de outubro de 2014

"Magia ao Luar"


Uma comédia romântica de Woody Allen com uma boa cenografia, um bom figurino e um elenco de excelência, com   bons desempenhos de actores como Colin Firth, Emma Stone, Antónia Clarke, Natasha Andrews entre outros... 
O destaque, quanto a mim, vai para a interpretação de Colin Firth no papel de um célebre médium chinés ...Wei Ling Soo,  um dos mais célebres mágicos da sua época conhecido pelos seus números espectaculares e perito em desmascarar pseudo  médiuns. Um homem muito pragmático até que conhece Sophie (Emma Stone), uma suposta médium, que ele tenta desmascarar, mas que acaba por deixá-lo absolutamente baralhado e o leva à descoberta de um mundo totalmente novo e cheio de mistérios... ou não se tivesse deixado  seduzir pela franqueza e encanto de Sophie... 
Muito interessante o argumento do filme, que conta com ingredientes como : a magia, o amor, o dinheiro, a fé; o pragmatismo; os mistérios da vida...

Vi, gostei e recomendo! Um envolvente filme de Woody Allen! Para ver...

terça-feira, 7 de outubro de 2014

Amor incondicional...


este que sinto pelos meus netos. 
Incondicional, indefinível, indecifrável, desinteressado, complacente, bonito, amigo, gostoso...
Que me faz amar mais a vida a cada dia que passa.
Netos que os meus olhos  vêem  mais lindos momento após momento!
Um amor que me leva a pedir a Deus que prolongue o meu tempo neste lugar. 
Que me faz querer vê-los crescidos... com o desejo de que se mantenham crianças durante muito tempo (quase ridículo... crescer rápido, mas manter-se criança ...será isto possível?)
Que faz de mim uma avó babada e orgulhosa!
Que me faz escrever - e partilhar - estas quase "lamechices" sem qualquer receio...

O amor - neste caso, o amor que se dá e se recebe dos netos - é inquestionavelmente maravilhoso!...
É assim o amor!! Nos suas mais diversas formas ou... cores!

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Outonal...



 Caem as folhas mortas sobre o lago;
Na penumbra outonal, não sei quem tece
As rendas do silêncio… Olha, anoitece!
- Brumas longínquas do País do Vago…

Veludos a ondear… Mistério mago…
Encantamento… A hora que não esquece,
A luz que a pouco e pouco desfalece,
Que lança em mim a bênção dum afago…

Outono dos crepúsculos doirados,
De púrpuras, damascos e brocados!
- Vestes a terra inteira de esplendor!

Outono das tardinhas silenciosas,
Das magníficas noites voluptuosas
Em que eu soluço a delirar de amor…

(Florbela Espanca, «Charneca em Flor», in «Poesia Completa»)

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Sem dúvida...


Não fazemos uma foto apenas com uma câmera; ao ato de fotografar trazemos todos os livros que lemos, os filmes que vimos, a música que ouvimos, as pessoas que amamos.
                                                                       (Ansel Adams)

Esta foto tem para mim um significado especial. Retrata um lugar que marcou uma importante etapa da minha vida! 


segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Uma caminhada de sucesso...


Ligo o PC. Visito o facebook. Gosto do que vejo. Agrada-me sobremaneira tropeçar em fotografias, especialmente se elas  me dizem alguma coisa...
E as de hoje  - essencialmente de meninos que iniciam ou reiniciam o seu percurso escolar - mexeram comigo...
Também eu poderia estar de volta à escola, neste  15 de Setembro, para receber alguns desses meninos e com eles continuar o meu trabalho pedagógico.
Todavia, esse ciclo já terminou! Foram 32 felizes anos da minha vida! Agora recordo, simplesmente. Com alguma nostalgia,  muitos afectos e muitos e grandes momentos guardados no meu coração...
Feliz continuo, cá deste lado, a acompanhar os meus netos no seu crescimento e no seu percurso pela escola e pela vida.
A todos os meninos em geral e, em particular, ao Vicente,  ao António e ao Sebastião, desejo uma caminhada de sucesso neste ano lectivo que ora começa!

terça-feira, 9 de setembro de 2014

De poeta e de louco...

...todos temos um pouco!!


Não me apetece partir
Nem me apetece ficar
Sou uma refém de mim mesma
Com vontade de se libertar.

Forças, por onde andais? 
Roubadas pelas águas do mar?
Oceano azul, trá-las de volta
Preciso delas para voar...

Não, não vou desistir
Nunca por nunca, nem pensar,
És o meu maior cúmplice
Ó meu doce e amargo mar!
                                    (E. M.)


domingo, 7 de setembro de 2014


Pode parecer Santorini, na Grécia, mas não é! Estamos em Benagil, pequena  e pitoresca aldeia do barlavento algarvio. Um lugar algo recôndito e belo que se espraia pelo magnífico oceano a perder de vista.
Impunha-se uma visita a este cantinho  que, de certa forma, marcou a minha infância e adolescência.
Recordo, com alguma nostalgia, as férias aqui passadas, em casa da avó materna. Os encontros com os amigos na praia, as conversas, as brincadeiras... a alegria e felicidade sentidas e... o que nos custava a despedida na hora do regresso a casa porque as aulas iam recomeçar.
Passados tantos anos - mais de trinta - Benagil sofreu modificações, cresceu, como não podia deixar de acontecer. Contudo, a aldeia mantém a sua traça original, não obstante as casas modernas que se foram construindo nas imediações... 
Poder-se-á dizer que Benagil mudou um pouco as suas roupagens. Porventura os cheiros e os sabores! Mas as cores - o azul cristalino do mar,  as cromáticas falésias e a areia dourada, o branco e o azul do casario e o verde da exuberante vegetação - essas continuam ali.
Um lugar idílico e romântico capaz de derreter o coração mais duro! Pois... porque para além do que já se disse aqui, é em Benagil que existem  grutas que integram a lista das mais belas da Europa - entre elas está a GRUTA DO AMOR - cujas fotos se encontram AQUI.



domingo, 31 de agosto de 2014

Leia. Porque rir faz bem...


Recebi esta anedota de um amigo -via email - que, por tão interessante, partilho convosco. Para uma saudável gargalhada... 


Pão alentejano

Um enfermeiro, casado, do Hospital de Santa Maria, namorava uma
médica e ao fim de algum tempo ela ficou grávida!
Ele disse-lhe que assumia a paternidade da criança, mas que não
queria que sua mulher soubesse do que se tinha passado.
Ela aceitou e por questões da sua privacidade, pediu a transferência
para o Hospital de Évora
No entanto voltou-se para ele e perguntou-lhe:
- Como te aviso quando o bebé nascer?
- Manda um postal e escreve só ''Pão alentejano."
Passaram-se alguns meses e, um dia, quando o enfermeiro chegou a casa, a esposa disse-lhe:
- Recebeste um postal de Évora mas eu não consigo entender o significado da mensagem.
Ele leu o postal e caiu no chão com um violento ataque cardíaco.
Foi levado imediatamente para as urgências.
O cardiologista perguntou à esposa:
- Aconteceu alguma coisa de anormal que possa ter causado este ataque cardíaco?
- Não!
- Ele apenas leu este cartão postal que diz:

CINCO PÃES ALENTEJANOS:
TRÊS COM CHOURIÇO E DOIS SEM




sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Vale a pena ver... e ouvir


O meu muito obrigada ao Reverendíssimo Padre Mário Tavares de Oliveira pela partilha - via facebook - deste vídeo da autoria de Rebeca Nemer. Genial, simplesmente.
Tão genial e... oportuno, que o "carreguei" de imediato para este cantinho onde guardo muito do que me toca com alguma profundidade.
Não, não sou de todo uma daquelas mulheres com uma auto-estima assim tão baixa... agora que já me senti muitas vezes uma mulher invisível e incompreendida após esforços tremendos para ajudar e agradar, ai senti-me sim!...
Questiono-me se haverá alguma mulher que não se tenha sentido invisível em qualquer momento da sua vida, como mãe, como mulher ou até como amiga!? Se não, dou-lhe os meus parabéns. :)

O melhor mesmo é não nos afligirmos com essa invisibilidade, porque afinal sempre há Alguém que nos vê e nos compreende: DEUS






quarta-feira, 27 de agosto de 2014

"Quem tem alma não tem calma"

(Imagem retirada da Net)
Não sei quantas almas tenho

Não sei quantas almas tenho.
Cada momento mudei.
Continuamente me estranho.
Nunca me vi nem achei.
De tanto ser, só tenho alma.
Quem tem alma não tem calma.
Quem vê é só o que vê,
Quem sente não é quem é,

Atento ao que eu sou e vejo.
Torno-me eles e não eu.
Cada meu sonho ou desejo
É do que nasce e não meu.
Sou minha própria paisagem,
Assisto à minha passagem,
Diverso, móbil e só,
Não sei sentir-me onde estou.

Por isso, alheio, vou lendo
Como páginas, meu ser.
O que segue prevendo,
O que passou a esquecer.
Noto à margem do que li
O que julguei que senti.
Releio e digo: "Fui eu"?
Deus sabe, porque o escreveu.

Este é um dos muitos e belos poemas de Pessoa de que gosto imenso  e que me toca profundamente. Especialmente em determinados dias... Hoje é um desses dias.
Tal como o poeta, também me releio  e... me questiono : Fui/sou eu??
- Sou, com certeza!
Então, resta-me acreditar que  só "Deus sabe, porque o escreveu."

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Esperar... esquecer... decidir




Li o livro de Paulo Coelho "Na margem do rio Piedra eu sentei e chorei" . Há bastante tempo. Fi-lo, naturalmente, sentada e lembro-me  que  gostei imenso de o ler. O que não me lembro, mesmo, é se chorei, ou não. 
É, sem dúvida,  um livro profícuo em pensamentos que passam pela cabeça do mais comum dos mortais.

De facto, as indecisões - sejam elas quais forem - fazem-nos sofrer. Muito!!

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Super Lua


Ao anoitecer deste Domingo, dia 10 de Agosto de 2114, captei-a, pois então! A Super Lua, ou seja, uma Lua Cheia que, de acordo com os entendidos na matéria, atingiu uma dimensão e um brilho superior ao que é habitual, respectivamente 14% maior e 30% mais brilhante.
Um Domingo de certa forma singular, dado que a lua se colocou na posição de máxima aproximação da Terra (Perigeu) somente alguns minutos antes da LUA CHEIA acontecer. Fenónemos que quando acontecem tão próximos um do outro, dão origem a um aumento do disco lunar e a um maior brilho do mesmo.

Observei atentamente a super lua e fotografei-a da beira mar. Rendi-me ao seu ENCANTO!!

 
O mar estava lindo. Também ele muito brilhante. Um belo espectáculo!!


terça-feira, 5 de agosto de 2014

Em férias. ..

(Bob Marley - SUNSHINE REGGAE)

O sol está a ficar mais dourado e brilhante em cada dia que passa. O  clima está  mais agradável. 
Afinal, é tempo  de férias. De lazer e descontracção.
Vale a pena ouvir e apreciar a melodia!
Bater o pé, se for esse o apetite.
Sorrir.Viver.
E ser Feliz!


sábado, 2 de agosto de 2014

Bom dia, Agosto...

Foto captada da minha janela, pela manhã
Na verdade, Agosto não entrou na sua melhor forma. Os dias acordam estremunhados e as manhãs mantêm-se encolhidas, não pelo frio - a temperatura está amena - mas pelo sol que teima em esconder-se atrás dum céu algo nublado, que, ainda assim, continua a exibir - para meu gáudio - aquela bonita cor azulada, quase incandescente.

Ontem foi  assim, diria que um pouco pior, visto que a manhã de hoje está comparativamente mais clara e um nadinha mais luminosa. A tarde esteve bem melhor do que a manhã e espero que hoje aconteça o mesmo... Afinal, estamos em Agosto, no pico do Verão!
Está tudo a mudar, Deus meu! Na política, na economia, nas relações humanas, enfim... na vida.
Será um sinal de que Deus está mal com os homens? Não quero acreditar... Não vou por aí!

Vá lá Agosto, mostra a tua garra e presenteia-nos, como sempre o  soubeste fazer, com aqueles teus dias inebriantes que fazem as delícias de quem está de férias e de todos os que, como eu, gostam de sonhar! 

quarta-feira, 30 de julho de 2014

Paraíso, a Sul...

O sol, a luz, o céu azul, a praia de areia fina e dourada e o mar cristalino fazem deste lugar um idílico paraíso que atrai gente de todos os cantos do planeta. Muita gente!!
Comungo da calma, da paz,  da tranquilidade e da descontracção que por aqui se respira.
Observo! E os meus olhos, na sua pequenez, gostam do pouco que vêem em relação a tamanha abrangência.
  •  Corpos estendidos na areia, devidamente posicionados para o melhor bronze.
  •  Corpos que se refrescam nas águas cristalinas.
  • Raparigas de rostos muito bronzeados meio escondidos em grandes óculos escuros passeando pela praia.
  • As habituais caminhadas à beira mar, de gente de todas as idades, tentando exercitar o corpo e a mente.
  • Gente que aproveita algum do seu tempo de lazer para pôr as suas leituras em dia.
  • Outros, ainda, devorando as célebres revistas cor de rosa.
  • Os casalinhos apaixonados que de mãos dadas e olhares ternos fazem - presumo - as suas habituais juras de amor.
  • Sorrisos e risos  abertos e contagiantes de miúdos e graúdos.
  • As gaivotas, rasteiras, perfiladas, sobrevoando a costa, como que a controlar a situação.

Aqui, na mesa ao lado daquela onde me encontro , bons comensais deglutem fast food com tal avidez que já sinto o apetite a alertar os meus sentidos...
Afinal, já são 14 horas! O almoço espera-me, em casa.
Retiro-me lenta e discretamente... O meu estômago fala mais alto.
Mas vou voltar. Logo, pela tardinha.
Uma boa tarde de praia para  quem  se encontra por aqui. E são muitos!
BOAS FÉRIAS para todos!

domingo, 27 de julho de 2014

Se eu pudesse...

(retirado da Net)

Se pudesse viver outra vez, quase nunca teria pressa. Para quê?
(...) É absurdo andar a correr de um lado para o outro. Na verdade, é tão ridículo que chega a ser engraçado. A "correria" é uma ilusão, e é completamente desnecessária. Andamos numa roda viva, e para quê? A única coisa que isso faz é impedir-nos de viver a vida com propriedade e sentido.
Percebo agora que as pessoas correm atrás da felicidade. Mas isso é irónico porque basta abrandarmos o passo para a felicidade nos apanhar a nós.
                                                                 (Richard Carlson)

Excerto retirado das minhas descontraídas leituras de férias. Apeteceu-me registar.
Porque - também eu - necessito muito de abrandar o passo... De vez em quando é preciso parar para pensar.
Afinal a vida é preciosa... O importante mesmo é viver o AGORA, sem stress.
Esforcemo-nos! A bem da nossa saúde...

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Lugares fantásticos







São fotos de BENAGIL, um lugar fantástico, certamente desconhecido de muitos, mas que vale a pena visitar e ali permanecer por algum tempo a fim de apreciar a sua típica beleza. 
Benagil, é uma pequena e bela aldeia piscatória do barlavento algarvio. Para além de podermos desfrutar da sua  pequena e acolhedora praia de areia fina e dourada  e daquele mar cristalino e revigorante, podemos ainda ir à descoberta das célebres grutas marinhas, que estão entre as 10 mais 'cool' do mundo. 
A opinião é do site internacional de viagens Viator, que compilou os melhores exemplos globais do "profundo, escuro e fascinante mundo das cavernas", desde as iluminadas por pirilampos às cobertas de cristais. A publicação é do jornal norte americano Huffing Post.
Num top de 10, as grutas marinhas de Benagil, pertencentes ao concelho de Lagoa, ficaram colocadas no nono lugar da lista, o que muito me orgulha.
Atrevo-me a dizer  que conheço  este lugar quase tão bem como  me conheço a mim própria! Foi ali, lá bem no alto daquela imensa falésia, numa casa com janelas viradas para o mar que, provavelmente ao som do marulhar das ondas, a minha avó Maria da Luz dava à luz - há " tão só" 86 anos - a filha que mais tarde viria a ser minha mãe.  
Sinto uma alegria imensa e alguma nostalgia sempre que ali volto. E faço-o bastantes vezes, sempre que surge uma oportunidade. 
Por tudo isto, e não só... recomendo vivamente a todos os que me lêem, uma visita áquele "icónico" lugar. Vale bem a pena, acreditem!

E já agora podemos ficar a saber que:

A liderar este top 10 aparece uma gruta de cristais em Chihuahua, no México e, a completar o pódio, as grutas de mármore, na região chilena da Patagónia. AS grutas de Matera, no sul de Itália,  ocupam a terceira posição.

A Islândia, a França, a república autónoma da Abecásia (no Cáucaso) e a Áustria estão também representadas na lista de grutas mais 'cool' do Viator.


quarta-feira, 23 de julho de 2014

"Encontros marcados"

Não! Até ao momento, não tinha lido Gonçalo Cadilhe. Acabo de o fazer agora, pela primeira vez.
"Encontros marcados", escrito de forma simples e cuidada, é um livro  que denota uma vasta experiência do autor  no que se refere a viagens.
Uma colecção de textos apelativos, onde podemos ficar a saber um pouco do muito que nos pode acontecer nas viagens que eventualmente venhamos a fazer.
Gostei imenso!Vou voltar a ler Gonçalo Cadilhe.
Recomendo a leitura deste pequeno - em dimensão - mas interessante livro - em conteúdo -, especialmente a quem, como eu, sente um enorme fascínio por conhecer o mundo fantástico em que vivemos.
Viajar é, definitivamente para mim, uma paixão sem medida!
Todavia, através da leitura, também podemos viajar sem sair de casa!!! E sempre sai mais em conta...

segunda-feira, 21 de julho de 2014

Ele tem um Anjo...


Vou guardar neste "meu cantinho" e no meu coração, a pagela que assinala o Dia em que o Sebastião recebeu, solenemente, o Sacramento do Baptismo.
Acredito que o seu Anjo da guarda o protegerá ao longo da sua vida, a toda a hora e em todo o lado, podendo sempre contar com a Sua vigia.

domingo, 20 de julho de 2014

Parabéns, Sebastião!

O Sebastião, tal como é seu apanágio no dia a dia, também no momento do seu baptismo, manteve- se tranquilo e bem disposto. A registar um inesperado choro - quase sibilante - na altura em que o Senhor Padre  Ricardo o abençoava derramando a água benta (em grande quantidade???) sobre a sua cabeça. 
Choro que acabou por ser rapidamente abafado pelos nossos  sorrisos aumentando, desta forma, o calor humano e a alegria que se fazia sentir na Igreja de Santa Maria do Castelo, sem prejuízo para a espiritualidade do momento.
Como avó e mulher de fé, estou orgulhosa e feliz e agradeço a Deus ter-me dado a graça de poder testemunhar a entrada dos meus netos na Família de Cristo, da qual  orgulhosamente também  faço parte.
Parabéns, Sebastião!
Que, ao longo de toda a tua vida te sintas sempre protegido pelo Senhor Teu Deus!

sexta-feira, 18 de julho de 2014

Amanhã é o dia!

O Sebastião vai pertencer à Família de Cristo, ao receber o seu 1.º Sacramento - o Baptismo.
Um dia muito importante e bonito que perdurará para sempre - assim o espero - na vida deste meu terceiro neto.
Para mim, será decerto um dia emotivo e luminoso que guardarei ad aeternum num cantinho muito especial do meu ser.
Ultimam-se os preparativos para a celebração.
Um Dia Muito Feliz, Tião!
Com muitos sorrisos lindos...
                                                                           Como este...

quinta-feira, 17 de julho de 2014

Momentos de reflexão

Quantas vezes já lhe apeteceu bater com a porta a tudo e a todos os que teimam em tirar-lhe a vontade de sorrir? Algumas..., muitas vezes??
A mim, também. Muitas vezes!
Em nome da "bondade", lá vamos desculpando e dando novas oportunidades...
E porque  o fazemos? Porque continuamos deliberadamente a oferecer as nossas energias - por vezes, quase esgotadas - a situações ou a pessoas que não nos proporcionam alegria e bem estar?
Será que necessitamos dessas situações para continuarmos a sentir que somos gente? Que estamos vivos? E porque não queremos acreditar - ou não acreditamos mesmo - que quando uma porta se fecha, muitas outras se abrem?
Não seria mais correcto pensar que ao pactuarmos com quem nos deita abaixo, nos estamos a anular como pessoas?
Interiorizemos - eu vou tentar - que o melhor mesmo é afastarmo-nos de situações dolorosas e de pessoas que teimam em nos angustiar, de modo a  que estes momentos de vida com que Deus nos bafejou sejam, para nós,  momentos maioritariamente felizes.
É tempo de pensarmos mais em nós próprios! E de dizer NÃO - sem dó nem piedade - a tudo e a todos os que nos tiram a vontade de SORRIR.

(ViniciusDblack)



quinta-feira, 10 de julho de 2014

Viver bem é o lema, porque...

O que a gente leva desta vida é a vida que a gente leva.
                                                                                                 (Gonçalo Cadilhe)

sábado, 5 de julho de 2014

Obrigada!


Encontrámo-nos! Conversámos. Muito. Diz-se extenuada (quase).
O trabalho não se esgota, mas esgota-a. Reconhece, contudo, que estes excessos trazem consigo aspectos positivos. A ocupação e o cansaço físico não lhe deixam tempo para pensamentos turbulentos. Nem angústias e/ou depressões.
Somente pequenos e esporádicos momentos de melancolia - nas breves pausas para o merecido descanso - batem à porta do seu coração. Com teimosia. A que ela, teimosamente, faz ouvidos moucos.
A vida nem sempre é fácil - repete com alguma frequência. Mas temos de prosseguir a nossa caminhada com garra e determinação. E pensar mais em nós. Pensar que, de todas,  somos a pessoa mais importante.
E a conversa foi tomando rumo manhã adentro...

Uma boa reflexão, que me tocou fundo. Afinal somos amigas. E é bom sentirmo-nos em sintonia com os nossos amigos!
Estes singelos encontros fazem-nos crescer enquanto pessoas!

Obrigada , M.

quinta-feira, 3 de julho de 2014

Evocando Sophia de Mello Breyner Andressen, 10 anos após a sua morte...



Eis-me

Eis-me
Tendo-me despido de todos os meus mantos
Tendo-me separado de adivinhos mágicos e deuses
Para ficar sozinha ante o silêncio
Ante o silêncio e o esplendor da tua face

Mas tu és de todos os ausentes o ausente
Nem o teu ombro me apoia nem a tua mão me toca
O meu coração desce as escadas do tempo
                        [em que não moras]
E o teu encontro
São planícies e planícies de silêncio

Escura é a noite
Escura e transparente
Mas o teu rosto está para além do tempo opaco
E eu não habito os jardins do teu silêncio
Porque tu és de todos os ausentes o ausente

Sophia de Mello Breyner Andresen, in 'Livro Sexto'
Tema(s): Ausência 

 "A melhor homenagem que se pode fazer à escrita de Sophia, dez anos após a sua morte, é reconhecer que ela continua deslumbrantemente actual". (Miguel Sousa Tavares)

Sorriso terno

O Sebastião esboçou, hoje,  os primeiros sorrisos para a avó babada, que orgulhosamente captou o momento.
Para mais tarde recordar.
E para o contemplar, sempre que lhe apeteça ou a saudade aperte!

domingo, 29 de junho de 2014

Porquê Meu Deus?

Incomodada com o que aconteceu! Não devia ser permitido às pessoas partirem tão precocemente. Um jovem, aos 29 anos de idade está no auge da sua vida, tem, de certeza, à sua frente muitos ideais, muitos sonhos por concretizar! Muito para viver!
Não devia ser possível - dizia eu - mas o que é facto é que estas tragédias acontecem. Infelizmente, com uma frequência indesejada. 
Pergunto: "porquê meu Deus?"
Tal como aconteceu à Judite de Sousa e a muitas outras mães, também a minha  perdeu o seu único filho, do sexo masculino, e... foi muito doloroso. É e sempre será muito doloroso! Não pode haver, não há maior dor para uma mãe  do que ver partir o seu filho querido.
Bem sei que o tempo é um forte e bom aliado, contudo é uma dor muito viva, que dilacera o coração da mãe e lhe deixa um vazio profundo e uma saudade eterna! 
Como mulher de fé, quero acreditar - embora sinta alguma dificuldade - que Deus terá uma explicação plausível para tudo o que acontece, à qual não temos acesso. Quero pensar que quem acredita que Deus sabe o que faz - e eu quero acreditar -  pode ver minimizado o seu sofrimento, ainda que nunca esqueça e viva o resto do seu tempo carregando este pesado fardo. 
Quero, ainda, aqui deixar à Judite de Sousa - que conheço apenas e só da televisão - e  a todas as mães  sem visibilidade  que também passaram pelo mesmo drama, uma palavra de conforto. O momento é muito difícil e triste, mas Deus e o Tempo irão ajudar e melhores dias hão-de vir. Tenho a certeza.
Deixo o poema "Saudades" da nossa também sofredora e grande Florbela Espanca:

Saudades! Sim.. talvez.. e por que não?... 
Se o sonho foi tão alto e forte 
Que pensara vê-lo até à morte 
Deslumbrar-me de luz o coração! 

Esquecer! Para quê?... Ah, como é vão! 
Que tudo isso, Amor, nos não importe. 
Se ele deixou beleza que conforte 
Deve-nos ser sagrado como o pão. 

Quantas vezes, Amor, já te esqueci, 
Para mais doidamente me lembrar 
Mais decididamente me lembrar de ti! 

E quem dera que fosse sempre assim: 
Quanto menos quisesse recordar 
Mais saudade andasse presa a mim! 


Florbela Espanca, in "Livro de Sóror Saudade"



sexta-feira, 27 de junho de 2014

Há dias assim!

Hoje mesmo, ou seja, ontem, dado que a meia-noite já lá vai, fui  surpreendida por um telefonema de um bonito e simpático jovem que me anunciava - quase  em jeito de pedido - a sua visita. Nada me fazia prever este contacto telefónico, tão pouco o nosso reencontro cá em casa, nem as emoções que, de imediato,  senti e continuo a sentir ao ponto de me apetecer muito escrever sobre o assunto e não encontrar as palavras adequadas para o fazer.
Fiquei feliz e orgulhosa dele! Vinha em trabalho a Lisboa. E conversámos... conversámos imenso, aproveitando ao máximo o tempo reduzido de que dispunhamos. O seu sentido de responsabilidade, aqueles olhos maravilhosos, azuis, a sua simpatia e o seu sorriso contagiante deixaram-me derretida.
O meu sobrinho continua a crescer, não obstante a partida prematura do pai. Quero e preciso  acreditar que por algum motivo, que desconheço, Deus permitiu que partisse. Onde quer que esteja, tenho a certeza de que terá sempre os olhos postos no filho amado e de que o ajudará na sua caminhada pela vida.
Nós - os que cá ficaram - vamos estar atentos e dar-lhe todo o apoio no sentido de que o seu caminho seja a FELICIDADE!

Há dias assim... em que a SAUDADE aperta, forte, o nosso coração! Descansa em paz, MANO!




Silêncios que falam


"Existem momentos na vida da gente, em que as palavras perdem o sentido ou parecem inúteis e, por mais que a gente pense numa forma de empregá-las, elas parecem não servir.
Então, a gente não diz, apenas sente." 
(Freud)

terça-feira, 24 de junho de 2014

segunda-feira, 23 de junho de 2014

A chuva do desencanto...

Alcácer em início de Verão (terceiro dia no calendário) - modo Inverno, céu nublado e chuva intensa que, não obstante o desencanto ou desconforto que possa provocar a quem gosta de um tempo mais sorridente, - onde me incluo - não deixa de nos proporcionar óptimas panorâmicas, tais como estas que vos deixo.









domingo, 22 de junho de 2014

Puro engano...

Chegou ontem, de mansinho. Envergonhado! Receoso! Tímido, diria mesmo... sem cor, sem calor, sem garra...
Contudo, à chegada, ainda nos deu um reduzido ar da sua graça e quase acreditei que vinha para ficar.
Puro engano! Chove, quase a cântaros, nesta manhã de um  dia cinzento e fresco,  a lembrar o Outono, quiçá o Inverno.
Todos sabemos que há vários factores que tornam o estado do tempo imprevisível. Mas não gostamos, quase rejeitamos essa parte científica e, cada de um de nós, deseja-o à sua maneira.
Há os que apreciam dias soalheiros, há quem goste dos  cinzentos e frios... há quem encontre uma magia especial nos dias chuvosos, enfim... é exigente e complicado o ser humano!
Falo por mim, que me identifico como uma mulher que ama o sol, o mar, o clima ameno, que nada quer com o frio. Uma mulher oriunda do sul, litoral. Depois do Inverno,  tenha sido rigoroso ou ameno - e este último foi tão rigoroso ao ponto de absorver a Primavera - o que eu mais quero e desejo  é que o Verão regresse fisicamente e não só em termos de calendário... 

E estou em crer que chegará, rapidamente! Aguardemos, sem stress... :)

quarta-feira, 18 de junho de 2014

ANIVERSÁRIO...



CHICO BUARQUE - "MINHA HISTÓRIA" 

Parabéns a Chico Buarque pelo seu aniversário natalício - completa hoje 70 anos.
Obrigada pela sua sensibilidade, pela sua bonita e melodiosa voz, pelas suas belas composições que continuam a encantar-me sobremaneira!Sendo que esta é uma das minhas preferidas...






sexta-feira, 6 de junho de 2014

Happy birthday my dear!



O meu neto Vicente celebrou ontem - 5 de Junho - o seu quinto aniversário. Os pais presentearam-no com uma festinha onde estiveram presentes todos os coleguinhas da sua turma e mais um ou outro amiguinho de família. O seu rosto esbanjou alegria e felicidade durante todo o tempo...
Eu também lá estive. Um pouco nos bastidores - aquele era um convívio de meninos - senti-me grata por poder observar  a  alegria,  a vivacidade, a cumplicidade, a amizade, enfim... o salutar convívio que, num ápice, ali se estabeleceu entre eles.
Na verdade, as crianças - mais do que os adultos - são hábeis em estabelecer relações entre si e ainda bem que assim é! O que nós queremos mesmo é que os nossos meninos sejam felizes. 
Em pleno séc. XXI não devia haver lugar para o sofrimento das crianças. Sabemos que não é assim... infelizmente! 
Que os homens abram os seus corações - incluindo os governantes - e  se unam na defesa dos DIREITOS DAS CRIANÇAS. Porque...

TODAS TÊM O DIREITO DE SER FELIZES!

sexta-feira, 30 de maio de 2014

Peço a DEUS...



Peço a Deus e ao Tempo que me dêem tempo (o possível...) para acompanhar  estas três maravilhosas crianças - os meus netos - no seu crescimento enquanto pessoas. 
Amo-os de forma incondicional!!

quinta-feira, 29 de maio de 2014

Dia da Espiga...

Foto "roubada" ao amigo Mateus
                                                                    
A Quinta-feira da Ascensão é uma festa religiosa católica e
celebra a ascensão de Jesus ao Céu, depois de ter sido crucificado e de ter ressuscitado (na Páscoa).


Quarenta dias depois da Ressurreição, Jesus apareceu pela última vez aos seus discípulos, em Jerusalém, e levou-os ao Monte das Oliveiras.
Depois de lhes ter renovado a promessa do Espírito Santo, ergueu as mãos ao céu e abençoou-os. Nesse instante, começou a elevar-se no ar e não tardou que uma nuvem o escondesse dos olhos deles. Como estes continuaram a olhar o céu, apareceram-lhes dois anjos a anunciar que Jesus voltaria do mesmo modo que o viram subir.
Então os discípulos deixaram o Monte das Oliveiras e regressaram a Jerusalém.
Este dia de Ascensão ocorre cerca de quarenta dias depois da Páscoa, e é sempre a uma quinta-feira.
É, também, nesta data, que se celebra o Dia da Espiga ou Quinta-feira da Espiga.

Antigamente, de manhã cedo, rapazes e raparigas iam para o campo apanhar a espiga e outras flores campestres: espigas de trigo, folhagem de oliveira, malmequeres e papoilas. O ramo podia incluir centeio, cevada, aveia, margaridas, pampilhos... Dependia do gosto de cada um e das flores encontradas.

Cada elemento simboliza um desejo:
- A espiga: que haja pão, isto é, que nunca falte comida, que haja abundância em cada lar.
- O ramo de folhas de oliveira: que haja paz (a pomba da paz traz no bico um ramo de oliveira) e que nunca falte a luz (divina), as pessoas alumiavam-se com lamparinas de azeite (o azeite faz-se com as azeitonas, fruto da oliveira.)
- Flores (malmequeres, papoilas e outras): que haja alegria (simbolizada pela cor das flores - o malmequer «traz» ouro e prata, a papoila «traz» amor e vida e o alecrim «traz» saúde e força)
O ramo era guardado ao longo de um ano, até ao Dia da Espiga do ano seguinte, pendurado algures dentro de casa.

Conta-se que este costume, que surge mais no centro e sul de Portugal, nasceu de um antigo ritual cristão, que era uma bênção aos primeiros frutos.
No entanto, por ter tanta ligação com a Natureza, pensa-se que é bem mais antigo, talvez de tradições pagãs associadas às festas da deusa Flora que aconteciam por esta altura do ano, ligadas à tradição dos Maios e das Maias.

Hoje em dia, já poucos vão à espiga. Nas grandes cidades, as pessoas já não vão colher ramos (nem há onde...), mas há quem os venda, tendo-os colhido e atado, fazendo negócio com a tradição... E ajudando a preservá-la. 
                                            Texto transcrito de "Para Português Ler" (no Facebook)



segunda-feira, 26 de maio de 2014

Análise...

Porque estou em concordância, porque não conseguiria exprimir com tamanha clarividência a minha análise dos resultados das eleições europeias 2014, transcrevo, quase na integra, o post que Helena Sacadura Cabral - mulher que muito admiro - escreveu no seu blog "Fio de Prumo" e que pode ser lido  na integra, AQUI.

O dia seguinte

(...)
O povo escolheu. Sabiamente, como já nos habituou. O país está a tornar-se cada vez mais ingovernável, nos velhos moldes políticos que conhecemos e a mostrar, desde as autárquicas, que ou os partidos mudam ou o seu poder vai progressivamente desaparecer. 
A abstenção, os votos brancos e os votos nulos só atestam o que digo. Pesadíssima derrota para o governo e BE - os extremos acabam por se tocar - e vitória amarga para o PS, que não vai saber o que fazer com ela, sobretudo, se insistir em manter Seguro que, assim, se tornará o "passaporte" ideal para a coligação  que nos governa.
Na Europa a direita e a esquerda mais radicais fortaleceram as suas posições, os eurocepticos afirmaram-se e na Alemanha a senhora Merkel não deve estar propriamente a esfregar as mãos.
Conclusão, a Europa ou muda ou a UE desintegra-se. A caminhada já começou. E Portugal ou muda ou torna-se ingovernável, seja com 80 ou 120 medidas, com manifestos assinados pela esquerda e direita ou com outros que "não querem mais isto".
Hoje a política não pode fazer-se nos mesmos moldes de há quatro décadas e os líderes estão demasiado velhos para escolherem o futuro daqueles que agora têm vinte e poucos anos. Não perceber isto é caminhar para os nacionalismos exacerbados e reverter a democracia
!

HSC