segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Outonal...



 Caem as folhas mortas sobre o lago;
Na penumbra outonal, não sei quem tece
As rendas do silêncio… Olha, anoitece!
- Brumas longínquas do País do Vago…

Veludos a ondear… Mistério mago…
Encantamento… A hora que não esquece,
A luz que a pouco e pouco desfalece,
Que lança em mim a bênção dum afago…

Outono dos crepúsculos doirados,
De púrpuras, damascos e brocados!
- Vestes a terra inteira de esplendor!

Outono das tardinhas silenciosas,
Das magníficas noites voluptuosas
Em que eu soluço a delirar de amor…

(Florbela Espanca, «Charneca em Flor», in «Poesia Completa»)

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Sem dúvida...


Não fazemos uma foto apenas com uma câmera; ao ato de fotografar trazemos todos os livros que lemos, os filmes que vimos, a música que ouvimos, as pessoas que amamos.
                                                                       (Ansel Adams)

Esta foto tem para mim um significado especial. Retrata um lugar que marcou uma importante etapa da minha vida! 


segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Uma caminhada de sucesso...


Ligo o PC. Visito o facebook. Gosto do que vejo. Agrada-me sobremaneira tropeçar em fotografias, especialmente se elas  me dizem alguma coisa...
E as de hoje  - essencialmente de meninos que iniciam ou reiniciam o seu percurso escolar - mexeram comigo...
Também eu poderia estar de volta à escola, neste  15 de Setembro, para receber alguns desses meninos e com eles continuar o meu trabalho pedagógico.
Todavia, esse ciclo já terminou! Foram 32 felizes anos da minha vida! Agora recordo, simplesmente. Com alguma nostalgia,  muitos afectos e muitos e grandes momentos guardados no meu coração...
Feliz continuo, cá deste lado, a acompanhar os meus netos no seu crescimento e no seu percurso pela escola e pela vida.
A todos os meninos em geral e, em particular, ao Vicente,  ao António e ao Sebastião, desejo uma caminhada de sucesso neste ano lectivo que ora começa!

terça-feira, 9 de setembro de 2014

De poeta e de louco...

...todos temos um pouco!!


Não me apetece partir
Nem me apetece ficar
Sou uma refém de mim mesma
Com vontade de se libertar.

Forças, por onde andais? 
Roubadas pelas águas do mar?
Oceano azul, trá-las de volta
Preciso delas para voar...

Não, não vou desistir
Nunca por nunca, nem pensar,
És o meu maior cúmplice
Ó meu doce e amargo mar!
                                    (E. M.)


domingo, 7 de setembro de 2014


Pode parecer Santorini, na Grécia, mas não é! Estamos em Benagil, pequena  e pitoresca aldeia do barlavento algarvio. Um lugar algo recôndito e belo que se espraia pelo magnífico oceano a perder de vista.
Impunha-se uma visita a este cantinho  que, de certa forma, marcou a minha infância e adolescência.
Recordo, com alguma nostalgia, as férias aqui passadas, em casa da avó materna. Os encontros com os amigos na praia, as conversas, as brincadeiras... a alegria e felicidade sentidas e... o que nos custava a despedida na hora do regresso a casa porque as aulas iam recomeçar.
Passados tantos anos - mais de trinta - Benagil sofreu modificações, cresceu, como não podia deixar de acontecer. Contudo, a aldeia mantém a sua traça original, não obstante as casas modernas que se foram construindo nas imediações... 
Poder-se-á dizer que Benagil mudou um pouco as suas roupagens. Porventura os cheiros e os sabores! Mas as cores - o azul cristalino do mar,  as cromáticas falésias e a areia dourada, o branco e o azul do casario e o verde da exuberante vegetação - essas continuam ali.
Um lugar idílico e romântico capaz de derreter o coração mais duro! Pois... porque para além do que já se disse aqui, é em Benagil que existem  grutas que integram a lista das mais belas da Europa - entre elas está a GRUTA DO AMOR - cujas fotos se encontram AQUI.