segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Rain...


Chove. Há Silêncio

Chove. Há silêncio, porque a mesma chuva
Não faz ruído senão com sossego.
Chove. O céu dorme. Quando a alma é viúva
Do que não sabe, o sentimento é cego.
Chove. Meu ser (quem sou) renego...

Tão calma é a chuva que se solta no ar
(Nem parece de nuvens) que parece
Que não é chuva, mas um sussurrar
Que de si mesmo, ao sussurrar, se esquece.
Chove. Nada apetece...

Não paira vento, não há céu que eu sinta.
Chove longínqua e indistintamente,
Como uma coisa certa que nos minta,
Como um grande desejo que nos mente.
Chove. Nada em mim sente...

Fernando Pessoa, in "Cancioneiro"


O sol deixou-se apagar, o Verão deu lugar ao Outono, as nuvens instalaram-se no horizonte. Os dias - o de ontem e o de hoje - ficaram escuros e tristes. A chuva apareceu e continua a cair de mansinho, quase sem se notar. São dias silenciosos que podem gerar tristeza aos mais vulneráveis e tristes.

Mas... é preciso acreditar que nenhuma tristeza é eterna, que depois da chuva vem o bom tempo e que amanhã será outro dia, porventura um dia cheio  de  sol - radioso - e de boas surpresas.






sábado, 28 de setembro de 2013

Modéstia à parte... estava saboroso!

Após o incidente de ontem, que descrevo sucintamente  aqui , e porque não tenho quaisquer dúvidas de que  a mesa da refeição - em família - é um lugar sagrado com poderes surpreendentes, preparei este prato - polvo à lagareiro - tão do agrado da pessoa lesada que, neste caso, é o meu filho.
Penso que consegui criar um ambiente propício à libertação do stress acumulado pelo vandalismo a que foi sujeito, para além do conforto que o estômago terá sentido perante a iguaria apresentada.



Foi tão só um miminho de mãe preocupada! O filho ficou agradado e a mãe... CONTENTE.
  

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Primeira chuva de outono...

Acordei, hoje, ao som da chuva a cair lá fora. São os primeiros indícios da pluviosidade própria de um outono que se assume pujante e decidido! No início do verão quis acreditar nas previsões dos meteorologistas, de que iríamos ter um outubro veranil, mas rendo-me à evidência dos factos. Enganei-me, enganaram-me! ...

Hoje, pela manhã, choveu  bastante. Agora já se vislumbra uma boa réstia  de sol no horizonte. Não obstante, este é um dia cinzento de outono que não me impede de reconhecer  a beleza e a magia que caracterizam esta multicolorida e poética época do ano.
Eu gosto do outono! Dos dias lânguidos e preguiçosos, dos cheiros, das cores, dos deliciosos frutos da época, da temperatura amena, das gaivotas e das cegonhas nos seus rodopios outonais, do pôr do sol, das paisagens, umas mais áridas, outras salpicadas de cores a rondar as do arco íris... Também gosto muito da primavera ( que é, sem dúvida, a que mais agita os meus olhos e preenche o meu coração), e do verão.
O inverno é o meu calcanhar de Aquiles...OK! Reconheço que é uma estação do ano que, tal como as  suas congéneres, também tem os seus encantos - assinalo, entre outras, a época de Natal, de que gosto muito, e os serões passados no calor da família, junto à lareira. O que  não gosto mesmo - não aprecio - é daqueles dias, às vezes seguidos de noites, em que a chuva intensa  teima em cair, arrastando-se pelas noites adentro. E que dizer dos frios renitentes, em que por mais  que nos agasalhemos, continuam a regelar-nos os ossos e... a alma!? E das tempestades!?

Imaginem que ainda o outono não marcou posição, e eu já a pensar e a dissecar sobre o inverno... que ainda não chegou e, já agora,  desejo se mantenha por muito tempo lá pelo hemisfério onde anda...

São, nada mais nada menos, os estados do tempo,  que, gostando mais de uns do que de outros, há que aceitar com alegria e sorriso nos lábios!!

Mais difícil de digerir, muito desagradável e revoltante, foi o vandalismo perpetrado, durante a calada desta noite que passou, ao  carro do meu filho, que se encontrava estacionado à porta de casa, na zona da Grande Lisboa. Um inesperado assalto, pois...porque esta coisa dos assaltos e afins são sempre  inesperados - reveladores de mentes mal formadas e diabólicas (não lhes dá para bater com a cabeça nas paredes),  que se valem da crise financeira para justificar os seus atos violentos, de destruição e roubo.

Bem sei que a crise não ajuda, só que, independentemente da mesma, sempre houve, há e haverá vândalos e gente sem princípios prontos para  provocarem desacatos.
Pelo que devemos estar muito atentos a esta gente sem escrúpulos. Todo o cuidado é pouco!! Lamentavelmente!!

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Dia cinzento, de Outono!

Saí à rua, pela tardinha e, tal como aqui se pode comprovar, dei de caras com...
 
 O OUTONO
 
 
 
 
 
 

 
 
 

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Hoje estou para aqui virada...


Epitáfio- Titãs 

Devia ter amado mais
Ter chorado mais
Ter visto o sol nascer
Devia ter arriscado mais
E até errado mais
Ter feito o que eu queria fazer...
Queria ter aceitado
As pessoas como elas são
Cada um sabe a alegria
E a dor que traz no coração...
O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar distraído
O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar...
Devia ter complicado menos
Trabalhado menos
Ter visto o sol se pôr
Devia ter me importado menos
Com problemas pequenos
Ter morrido de amor...
Queria ter aceitado
A vida como ela é
A cada um cabe alegrias
E a tristeza que vier...
O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar distraído
O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar...
Devia ter complicado menos
Trabalhado menos
Ter visto o sol se pôr...

domingo, 22 de setembro de 2013

Eu gosto assim!

Soalheiro, quente e luminoso este primeiro dia de Outono. Temperaturas, que em nada o caracterizam, a oscilar entre os 15ºC e 34ºC (mínima e máxima, respetivamente). Outono, só mesmo no calendário!
EU GOSTO ASSIM! Nada tenho contra  esta estação em que  predominam os dourados, os vermelhos, castanhos e afins, mas...só de pensar que o Outono antecede o Inverno, arrepio-me toda.
Bem sei que todas as estações têm os seus encantos, mas... o Inverno que me desculpe, não gosto, não tenho pazes com ele, facilmente adoeço e vou à cama, quase deprimo e... por aí.
Que o mesmo é dizer que estou muito contente... não tenhas pressa Outono vem com calma que o teu lugar continua guardado no meu coração e não há nada que me impeça de te receber de braços abertos. Não me importo que sejas tão longo quanto está a ser o Verão. O que quero mesmo é que tramem o Inverno de modo a que seja a mais curta das quatro estações. Vá lá!... Era tão bom!!
 
Para assinalar a data da chegada do Outono  - que na realidade não chegou - fiz-me à estrada com a objetiva como companhia, a fim de tirar umas fotos ao burgo e ao primeiro pôr de sol outonal.
Deixo um pequeno registo...
EM ALCÁCER DO SAL
 
 
 
 
 
 
 















 


sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Este meu mar...


Quantas vezes, ao fim do dia, já me sentei junto deste meu mar, contemplando o céu  colorido e salpicado de nuvens, em busca da paz, da tranquilidade, daquela resposta ainda não encontrada?? Muitas... e muitas mais vezes se perspetivam,  porque os bramidos que saem deste oceano de voz rouca, mas doce, parecem sempre sussurrar-me aos ouvidos:
- Fica, deixa-te envolver por esta magia e... trata de ser feliz!!

Oceano Nox         

Junto do mar, que erguia gravemente
A trágica voz rouca, enquanto o vento
Passava como o voo do pensamento
Que busca e hesita, inquieto e intermitente,

Junto do mar sentei-me tristemente,
Olhando o céu pesado e nevoento,
E interroguei, cismando, esse lamento
Que saía das coisas, vagamente...

Que inquieto desejo vos tortura,
Seres elementares, força obscura?
Em volta de que ideia gravitais?

Mas na imensa extensão, onde se esconde
O Inconsciente imortal, só me responde
Um bramido, um queixume, e nada mais...

                            Antero de Quental, in "Sonetos"

                                                                                               Foto de Vivaldo Gonçalves
 

 

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Para descontrair!!

 

Trem das Cores - Caetano Veloso

Deixemo-nos levar e embalar por esta maviosa voz que tem o condão - no que a mim respeita - de me libertar do stress acumulado, deixando-me muito mais calma e tranquila. Espero, esta noite, durante o meu sono, fazer uma idílica viagem neste colorido "trem das cores". No vale dos meus lençóis, obviamente!..... 

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

"MEDIDA PERIGOSA"

Cortes nas pensões do Estado poupam pensões de sobrevivência abaixo dos 419 euros
"Os sucessivos chumbos do Tribunal Constitucional não impediram o Governo de avançar com uma medida que coloca problemas de ordem jurídica, política, económica, social e, sobretudo, moral. Falamos do corte de 10% , com efeito retroativo, previsto para as pensões do setor público, uma medida inaceitável e perigosa, pois abre a porta a que qualquer contrato possa ser posto em causa.
É, no mínimo, confrangedor ver o Governo, que se especializou em malabarismos semânticos que são verdadeiros atentados à inteligência dos portugueses, argumentar que a medida não é um corte retroativo mas um "recálculo" do valor das pensões. É tanto um "recálculo" como o plano para a redução do número de funcionários públicos é uma "requalificação". Não há volta a dar: trata-se de um corte retroativo sobre os rendimentos dos mais vulneráveis de nós, que ignora um direito adquirido e viola o princípio fundamental da ignorância.
E o pior de tudo é saber que estes cortes travestidos de reforma de estado, além de não taparem o "buraco" nas contas, terão efeitos contraproducentes. O que mais revolta nos sacrifícios é, para lá da sua dureza, a sua inutilidade."

José Rodrigues
EDITOR DE POLÍTICA/ECONOMIA

Partilho este artigo de opinião porque concordo inteiramente com o que nele se diz. Com estes governantes não há mesmo volta a dar...
Só nos resta a esperança do que o Tribunal Constitucional chumbe a infeliz e despropositada medida!

Férias e... instantâneos! #3#


VOUZELA é uma pequena e encantadora vila portuguesa - com cerca de 1300 habitantes - que se situa na Beira Alta, distrito de Viseu. Inserida numa região de grande beleza natural, na fértil zona de Lafões, apresenta  um interessante  património arquitetónico onde se destacam algumas Igrejas, bem como várias Casas Senhoriais e Solares construídos com o típico granito da região.

A bela  Capela de São Frei Gil, datada do sé. XVII
 
Bonito Solar e respetivo Brazão
 
Igreja da Misericórdia, do séc. XVIII

sábado, 14 de setembro de 2013

O Papa da diferença!



Por Gonçalo Portocarrero de Almada
publicado em 14 Set 2013 - 05:00


Atenda!
     
Nas igrejas, é frequente o aviso a pedir que se desligue o telemóvel. É razoável, porque atender uma chamada, num templo, é uma falta de respeito para com Deus. Mas, talvez não seja muito católico porque, do outro lado, pode estar... o Papa!
Não sei o cognome com que ficará na História, mas Francisco bem poderia ser designado o Papa das surpresas. Desde que iniciou o seu ainda breve pontificado, multiplicaram-se os gestos inéditos: recém-eleito, foi, pelo seu próprio pé, pagar uma conta; trocou a viatura oficial pelo autocarro em que viajavam os cardeais; preferiu viver na casa de Santa Marta, em vez de no apartamento pontifício, etc.
Um capítulo especial das benditas extravagâncias do Papa Francisco respeita aos seus telefonemas. Logo após a sua eleição ligou, directa e pessoalmente, o que não é suposto num Papa, ao superior geral da Companhia de Jesus, a que pertence. E agora telefonou a uma jovem grávida, abandonada pelo progenitor do seu filho, para lhe dar apoio espiritual e humano.
Imagino Jesus assim. Solene, quando proclama as bem-aventuranças, afirma que é Deus ou, diante de Pilatos, se intitula rei. Mas nunca frio, ou distante: toca o leproso que cura; fala a sós com a samaritana, junto ao poço de Sicar; repara em Zaqueu, empoleirado numa árvore, e vai a sua casa, apesar de ser a de um pecador.
Ser pastor é ser, sobretudo, pai. Por isso o Papa é tão "papá" de todos e de cada um de nós. Para que cada um de nós o seja do seu próximo.
Portanto, se receber uma chamada de um número desconhecido, atenda: pode ser o Papa! E, se não for, seguramente será Deus, que nos chama através das necessidades dos outros.
                                                    Padre                               










 
 
 
 
 




quinta-feira, 12 de setembro de 2013

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Férias e... instantâneos! #1#

Faro, baixa da cidade

Vista da "doca" dos meus tempos de estudante que, em tempos modernos, cedeu lugar à atual marina.


A seus pés, o Arco da Cidade
 

Escapadela, a não perder!


Quase, quase ...de partida!
Tenho de fazer a mala, mas então... !! Bom mesmo era ter de levar... nada! Detesto fazer malas, mas convém fazer, nem que seja com o mínimo lá dentro.  Não é??
Bem... do que não tenho dúvidas é de que não vou perder mais esta escapadela. De preferência, com mala!! ;)*

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Mar de espuma...





A onda apanhada no preciso momento!... Quando o mar está um pouco agitado e todo o mundo se afasta logo que a vê a aproximar-se e a entrar no processo de rebentação!... Às vezes, já é tarde e é vê-los enrolados na mesma...

Hoje foi assim!! A temperatura da água, essa, estava fabulosa - por mérito do vento de levante -  e o que apetecia mesmo era mergulhar!

E os mais afoitos - e eram muitos, incluindo eu - mergulharam e deleitaram-se!...

                                                                                                                           (Roubei esta foto ao meu amigo Vivaldo)