segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Quase anestesiada....

Há dias em que por mais que "puxes pela cabeça" , não consegues que ela funcione.  Sentes que a vida,  ou sei lá quem, te persegue e que, quando dás conta,  o tapete  fugiu debaixo dos teus pés. Então questionas-te: "e agora?" Quase te apetece desistir... Sentes-te no fundo, certo?
Depois, ergues-te e, com todas as forças  do teu ser, agarras-te às tuas crenças, à tua fé, à tua garra,  ao apoio da família e dos amigos e propões-te continuar a caminhada. 
Então, determinada, vais à luta porque sabes que é preciso acreditar! Que quem luta e acredita tem grandes possibilidades de vencer!
Eu acredito!...

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Choro pelo que não fiz...


Perdoa.me, folha seca,
não posso cuidar de ti
Vim para amar neste mundo,
e até do amor me perdi.
De que serviu tecer flores
pelas areias do chão
se havia gente dormindo
sobre o próprio coração?

E não pude levantá.la!
Choro pelo que não fiz.
E pela minha fraqueza
é que sou triste e infeliz.
Perdoa-me, folha seca!
Meus olhos sem força estão
velando e rogando aqueles
que não se levantarão...

Tu és folha de outono
voante pelo meu jardim.
Deixo-te a minha saudade
- a melhor parte de mim.
E vou por este caminho,
certa de que tudo é vão.
Que tudo é menos que o vento,
menos que as folhas do chão...
    (Cecília Meireles)


Neste dia especial da minha vida - 27/11/2015 . em que completo mais um ano no calendário da minha existência, deixo neste meu cantinho de escrita este belo poema que dedico aos meus netos que, neste momento, são os meus amores maiores.  
  


quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Pousar onde o coração quiser....

 
Liberdade de voar num horizonte qualquer, liberdade de pousar onde o coração quiser.
 (Cecília Meireles)

Um sonho de paisagem....

 
A tarde é toda um sonho moribundo
É já olor da cor que amorteceu
O céu vive no mar: sono profundo,
A asa do rumor que adormeceu!
(Luis de Montalvor)

quinta-feira, 19 de março de 2015

PAI, Quero que Saibas....

É o teu rosto que encontro.
Contra nós, cresce a manhã, o dia, cresce uma luz fina.
Sim, quero que saibas,
não te posso esconder,
ainda há uma luz fina sobre tudo isto.
Tudo se resume a esta luz fina
a recordar-me todo o silêncio desse silêncio que calaste.
Pai, quero que saibas,
cresce uma luz fina sobre mim
que sou sombra, luz fina a recortar-te de mim,
ténue sombra apenas.
Não te posso esconder,
depois de ti, ainda há tudo isto,
toda esta sombra e o silêncio e a luz fina que agora és.

                        José Luís Peixoto, in "Morreste-me"



domingo, 8 de março de 2015

Flores brancas para todas as mulheres...


Flores brancas para todas as mulheres em geral e, em particular,para todas aquelas que infelizmente, ainda sentem o peso da discriminação.
Feliz Dia da Mulher!
Que todos os dias do ano sejam, para cada uma de nós, Dias Felizes!!!!

sábado, 28 de fevereiro de 2015

Sobre a Garça Boieira...


Cruzei-me com esta ave no meu caminho, fotografei-a e, dado que nem o seu nome sabia, pesquisei na Net e partilho convosco a informação que considero essencial.

É uma ave de tamanho médio - 50 cm de altura, aproximadamente - , de corpo compacto e esguio e de plumagem branca. O seu bico e pernas são amarelo acinzentadas, tornando-se laranja rosado na época de reprodução. Neste período, a coroa, o peito e o manto adquirem, igualmente, um tom alaranjado.

A garça boieira Bubulcus Ibis existe em todos os continentes, excepto nos círculos polares. Vulgarmente conhecida por Carraceiro é fácil encontrá-la em Portugal, em bandos, no meio do gado que pasta, ou atrás das máquinas agrícolas que lavram a terra.

Alimenta-se de insectos, répteis, peixes, moluscos, girinos e pequenos mamíferos. E desempenha um importante papel junto dos criadores de gado, dado que limpa de carraças o lombo das ovelhas,vacas e cavalos, evitando a propagação de doenças nas manadas. Daí ser popularmente conhecido por CARRACEIRO.