sábado, 25 de maio de 2013

Esta tarde...

Definitivamente não era o que mais queria!... O que me apetecia mesmo era passar a tarde cá em casa  entregue aos meus pensamentos, às minhas angústias. Porém, não o fiz, por considerar que seria melhor bater com a porta e ir ao encontro do mundo, deambular pelas ruas da cidade e respirar o ar morno de uma azul e solarenga tarde de primavera. E ainda bem que assim aconteceu!
Aquele prato de caracóis que, à mesa de uma esplanada à beira Sado, gostosamente degluti, regados com uma cerveja bem fresquinha e à conversa com alguém que, em boa hora, se cruzou comigo na rua, foi ouro sobre azul.
E o que eu gosto de conversar! Uma verdadeira tagarela! Desabafei, ouvi, atenta, o meu interlocutor  e regressei a casa bastante aliviada do stress acumulado, e com a sensação do dever cumprido.
Pois... porque temos obrigações em relação a nós próprios, como pessoas. Que passam, para além de muitas outras, por saber dar a volta - usando a inteligência - às situações menos fáceis,  de modo a que  o tédio não se instale e a vida faça sentido.
 
A vida é uma dádiva de Deus! É minha/nossa obrigação fazê-la valer a pena!