quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Quanto mais livres formos...

 
Leem-se muitas revistas cor de rosa. Há quem critique muito quem as lê! Mas nem tudo são fofoquices. Nem tudo é literatura barata!...
Aqui e ali, encontram-se artigos interessantes, que vale a pena ler, como este, de Marianne Williamson ("A Return to Love"), publicado por Paulo Coelho na Lux, que partilho convosco:
 
A REFLEXÃO
 
"O nosso maior medo é o de sermos incapazes.
O nosso maior medo é o de descobrirmos que somos muito mais poderosos do que pensamos.
É a nossa luz, e não as nossas trevas, aquilo que mais nos assusta.
Vivemos perguntando-nos: quem sou eu, que me julgo tão insignificante, para aceitar o desafio de ser brilhante, sedutora, talentosa, fabulosa?
Na verdade, porque não?
Procurar ser medíocre não vai ajudar em nada o mundo, ou os nossos filhos. Não existe nenhum mérito em diminuirmos os nossos talentos, apenas para que os outros não se sintam inseguros ao nosso lado.
Nascemos para manifestar a glória de Deus - que está em todos, e não apenas em alguns eleitos. Quando tentamos mostrar essa glória, inconscientemente damos permissão para que os nossos amigos possam também manifestá-la.
Quanto mais livres formos, mais livres tornamos aqueles que nos cercam."