quarta-feira, 11 de julho de 2012

"Para que serve uma relação?"

"Algumas pessoas mantém relações para se sentirem integradas na sociedade, para provarem a si mesmas que são capazes de ser amadas, para evitar a solidão, por dinheiro ou por preguiça. Todos fadados à frustração. Uma armadilha.
 
Uma relação tem que servir para você se sentir 100% à vontade com outra pessoa, à vontade para concordar com ela e discordar dela, para ter sexo sem não-me-toques ou para cair no sono logo após o jantar, pregado.


Uma relação tem que servir para você ter com quem ir ao cinema de mãos dadas, para ter alguém que instale o som novo, enquanto você prepara uma omelete, para ter alguém com quem viajar para um país distante, para ter alguém com quem ficar em silêncio, sem que nenhum dos dois se incomode com isso.

 
 Uma relação tem que servir para, às vezes, estimular você a se produzir, e, quase sempre, estimular você a ser do jeito que é, de cara lavada uma pessoa bonita a seu modo.


Uma relação tem que servir para um e outro se sentirem amparados nas suas inquietações, para ensinar a confiar, a respeitar as diferenças que há entre as pessoas, e deve servir para fazer os dois se divertirem demais, mesmo em casa, principalmente em casa.

 
 
Uma relação tem que servir para cobrir as despesas um do outro num momento de aperto, e cobrir as dores um do outro num momento de melancolia, e cobrirem o corpo um do outro, quando o cobertor cair.

Uma relação tem que servir para um acompanhar o outro no médico, para um perdoar as fraquezas do outro, para um abrir a garrafa de vinho e para o outro abrir o jogo, e para os dois abrirem-se para o mundo, cientes de que o mundo não se resume aos dois."

Dr. Drauzio Varela

 Encontrei este texto do médico Dráuzio Varella na Net e como o achei muito interessante e concordo inteiramente com o seu conteúdo, "carreguei" com ele para o meu blog, para o partilhar e estar a jeito de o ler sempre que me apeteça!
Estou certa de que é isto o que mulheres e homens procuram numa relação. Mas... de boas intenções está o "mundo" cheio.
Inicialmente, as relações são todas, ou quase todas, apaixonadas e absorventes, daí a "junção dos trapinhos", o casamento, união de facto... etc. Mas essa paixão que, com a passagem do tempo devia evoluir para amor, não raras vezes, por egoísmo, teimosia, instinto sexual, insegurança, ou até porque, pura e simplesmrnte, uma ou as duas partes deixam de investir na relação,  não passa  de uma pouco duradoura paixão e... acaba aí. 
É sabido que as relações de casal não são fáceis, basta pensarmos que implica a união de duas pessoas, um homem e uma mulher, únicos na sua maneira de ser e estar, logo têm de ser construídas na base do respeito, da cedência,  da interajuda e da partilha, caso contrário, mais cedo ou mais tarde, acabam por morrer. Sendo que estas relações conturbadas, são situações que causam muito sofrimento a quem por elas passa!
E é de lamentar, porque vale muito a pena relações bonitas! Fazem com que a vida tenha mais sabor!!

As relações só se justificam quando fazem as pessoas felizes!