sábado, 4 de agosto de 2012

Saudades!

Saudades de ti, mano, que tão cedo partiste desta vida que tanto amavas,  para nunca mais voltares. E já lá vão tantos anos!! Porém, quando as pessoas se amam, e nós amávamo-nos muito, não há nada -nem a famigerada morte -  que as faça sair do nosso pensamento e das nossas vidas. Continuas muito presente na minha memória, mano! Hoje, talvez  mais presente do que em dias anteriores! Porque faz  precisamente 11 anos que, embora não falando - já não tinhas forças para o fazer - trocámos os últimos olhares, que jamais esquecerei.
Quero só dizer-te, e espero que me compreendas, que não tem sido fácil viver sem ti, tens-me feito muita falta e continuas a fazer, especialmente nesta fase da minha vida. Mas estejas tu onde estiveres, eu sei que estás a interceder não só  por aquele que foi o teu filho tão desejado e de quem tão cedo te separaste, mas também por mim, e por todos os que amaste na tua vida terrena.
Descansa em paz, mano!! Encontrar-nos-emos um dia, só Deus saberá quando...