segunda-feira, 1 de outubro de 2012

A traição!




 Há já alguns dias que ando a "remoer" esta temática. Tinha de escrever uns desabafos sobre "traição".
Todos sabemos que a traição é "um prato" que está na ordem do dia... No momento do casamento, os nubentes, imbuídos de paixão, juram fidelidade eterna aos parceiros/as.
Então porque motivo essas juras - bem sei que não se deve generalizar - caem por terra com tanta facilidade e rapidez??
 
- Será que os parceiros traem pelo simples prazer de trair na certeza de que não serão descobertos, logo não há problema...?
- Será por insegurança? E que o facto de se sentirem lisonjeados,  atraentes, desejados - fora de  portas -  lhes aumenta ou devolve a auto estima e auto confiança perdidas?
- Será para fugirem ao tédio do casamento e se sentirem vivos e compensados... como que para colmatar a frustração de não se sentirem felizes?
- Ou será porque os parceiros perante a dificuldade de se aceitarem  nas suas diferenças, se fecham no seu casulo  deixando morrer o diálogo, recusando-se a manter viva a chama da relação?

Muito mau quando  não percebem que  o relacionamento se está a desgastar e ambos - ou um deles - se acomodam nas rotinas e convivência diária ignorando que  o casamento é uma relação que precisa de ser alimentada, caso contrário fica ameaçada e acaba por morrer.
 
Em suma, é minha convicção que a traição só acontece  porque alguma coisa está errada na relação, embora nada  justifique que se traia.  Tão pouco os instintos do ser humano, que podem e devem ser controlados. Quantas vezes não damos connosco a controlar/ reprimir determinados "apetites"?
 
Traição dói... Muito difícil e angustiante para o parceiro que se sente traído! Muito difícil também readquirir a confiança perdida. Mas não impossível reconstruir a relação, que terá de ser  pautada em novos moldes de funcionamento e ter como base um diálogo franco e atitudes transparentes.
 
Penso, porém, que perante tentativas de reconciliação goradas,  o melhor mesmo é interiorizar  que vale a pena aceitar o fim da relação, olhar em frente, deixar o passado no devido lugar e tentar ser feliz de novo. 
Não será, porventura, fácil, mas acredito que será o melhor para os parceiros e até para os filhos, se os houver!