segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Uma vasta obra...

Manuel António Pina, em 2005
Manuel António Pina
Manuel António Pina, escritor e jornalista, morreu na passada sexta feira à tarde, no Porto, aos 68 anos de idade. Deixa-nos uma vasta obra que inclui poesia, crónica, ensaio, literatura infantil e peças de teatro, obra que lhe fez merecer em 2011 o Prémio Camões, o prémio mais importante da Língua Portuguesa.
Estreou-se na poesia em 1974 com o livro "Ainda não é o Fim nem o Princípio do Mundo Calma é Apenas Um Pouco Tarde". Um ano antes, em 1973, havia publicado o seu primeiro livro para crianças "O País das Pessoas de Pernas para o Ar". E muito mais obras publicou ao longo de uma vida que infelizmente não foi muito longa!
Um grande ser humano  muito  conhecido  pelo seu espírito solidário, sentido de humor e algum   inconformismo... o escritor que não tinha medo do fim...

Deixo este pequeno registo - retirado da sua obra -  que me tocou particularmente, porque, por incrível que pareça, este inteligente jogo de palavras transportou-me  para a situação que estamos a viver atualmente no nosso país!... 

Virar o mundo de dentro para fora/ e ver se o mundo assim melhora/ e se nem assim o mundo melhorar/ voltá-lo a virar, a virar, a virar.

Ou:

Pensar de pernas para o ar
é uma grande maneira de pensar
com toda a gente a pensar como toda a gente
ninguém pensava de forma diferente.
Que bom é pensar em outras coisas
e olhar para as coisas noutra posição
as coisas sérias que cómicas que são
com o céu para baixo e para cima o chão.
de o Inventão, Afrontamento, 1987

O POETA PARTIU MAS A OBRA FICOU!!