domingo, 28 de abril de 2013

Não há distâncias!?






Há dias assim! Dias em que  um telefonema para a mãe que se encontra geograficamente distante, te deixa melancólica. E  questionas: porquê a distância, se nos tempos que correm - costuma dizer-se, e eu concordo - já não há distâncias?
É sempre possível, para mais tratando-se de mãe viúva e idosa, aproximá-la da  única filha. Mas que fazer quando a mente da mãe não a deixa focar-se na  filha e lhe diz  insistentemente: " não abandones a tua zona de conforto, o ninho de felicidade que construíste e onde sempre tens vivido, onde se encontram as tuas amigas, onde te sentes firme e segura... aguenta, aguenta enquanto te sentires capacitada para tal."
 
Mas como não ficar apreensiva e melancólica quando do outro lado da linha telefónica ouves e sentes uma mãe que se encontra igualmente  melancólica porque, apesar dos apesares, sente o peso da solidão!?...
 
Coincidência, ou não, aproxima-se o "Dia da Mãe". Não estarei fisicamente - embora gostasse de estar - com a minha mãe neste dia, mas, tal como em todos os dias do ano, a MÃE estará no meu pensamento e no meu coração. O nosso encontro acontecerá algum tempo depois e aí, sim, celebraremos  "a efeméride" de um modo especial. E que melhor presente lhe posso dar do que um singelo bouquet de tulipas  envolto em todo o meu amor e carinho?
 
As flores e as plantas  fazem parte da minha vida! No Dia da Mãe, quiçá noutro dia qualquer - sou mãe em todos os dias do ano - gostaria de receber carinhosamente dos meus filhos - e só eu sei quão  generosos eles são... - um arbusto que poderá ser um  destes que aqui deixo registados, ou outro que prefiram e  achem que se ajusta ao meu gosto e às necessidades do canteiro a que se destina.
Romanzeira decorativa (Punica granatum ou Nochi Shibari)


Bauhinia purpurea (árvore das orquídeas ou árvore das borboletas)



 Levantemo-nos de manhã para ir às vinhas, vejamos se florescem as vides, se estão abertas as suas flores e se as romanzeiras já estão em flor.
                                                                         (Cântico dos Cânticos)
                                                    






 
.