sexta-feira, 7 de junho de 2013

O meu mais recente destino...

Um convite inesperado levou-me até Marrocos. Em boa hora! Uma viagem de dez dias que me agradou  sobremaneira. É-me sempre grato conhecer  outras culturas, outras gentes que permitem, através da observação e dos inerentes contactos,  vivenciar novas experiências.
Marrocos revelou-se um país exótico e misterioso, que, pela diversidade de emoções que  propõe, rapidamente nos seduz.   

Foi uma longa e aprazível caminhada! Percorremos o país de norte a sul. Diria que integrei um grupo de "nómadas" durante 10 dias. Pernoitámos em muitas e diferentes cidades. Percorremos muitíssimos quilómetros pelo interior do País, onde não faltou a habitual incursão pelo deserto - dunas de Merzouga. Impensável não nos rendermos  à beleza daquelas paisagens  envoltas num peculiar exotismo.
Visitámos Tetouan, Erfoud, Quarzazate Mazagão... só para referir algumas das cidades mais pequenas deste país.
Fez, Marrakech, Casablanca e Rabat - as quatro cidades imperiais de Marrocos - também fizeram parte do nosso itinerário.
Visitá-las é mergulhar num mundo fascinante para os sentidos. Não mais vou esquecer as tradicionais e movimentadas  Medinas, um verdadeiro labirinto de ruas estreitas, onde os aromas únicos das especiarias se fundem com as múltiplas e inebriantes cores que quase extasiam os olhares de quem por ali passa.  Não esquecerei, também, aqueles  sorrisos das mulheres árabes, ainda que dissimulados pelos seus véus,  em contraste com os gritos quase desconcertantes dos mercadores no seu já habitual regateio.
Nos souks das inúmeras e labirínticas ruelas, podemos encontrar variadíssimos produtos, desde os agrícolas a artigos em pele, porcelanas e todo o tipo de marroquinaria. Não raro é, também, encontrar artesãos produzindo as suas originais peças, que despertam a admiração de quem as observa.
Mas não só... na verdade, a Medina é quase uma cidade dentro de outra cidade, com imponentes Mesquitas e seus minaretes , numerosas madrassas (escolas islâmicas destinadas ao ensino cultural e religioso), riads (casas apalaçadas)  e magníficos palácios, para além de outros edifícios históricos.
O que aqui deixo registado mais não é do que uma pequenina mostra do muito que se pode  conhecer deste País  e deste povo que - nas suas diferenças - se rege pela autenticidade e singularidade.  

FEZ - Capital espiritual do País 










MARRAKECH








 CASABLANCA - Capital económica do País





 RABAT - Capital do Reino de Marrocos