segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Quase, quase a raiar...

São quase 24 horas do dia 26 de Novembro de 2012... o dia 27 está quase, quase a raiar... É  dia de  aniversário, o meu!... Estou a viver este final de mais um ano da minha vida de forma algo emocionada. Preferia que não fosse desta forma, em vez disso gostava de me apetecer gritar aos sete ventos "ei....aí, amanhã faço anos, estou super feliz e contente, vou fazer uma grande festa!!!

Não vou dizer que estou triste ou... infeliz, mas a lágrima espreita-me ao canto do olho, nem eu sei ou não quero saber ou pensar muito no porquê de...
Mas... aí vai um cheirinho. Para mim, este  "antes" constitui um tempo  de introspeção,  de pensar no que tem sido o meu percurso pela vida, no que construí - positivo/ negativo - e no que não fiz e deveria ter feito.
Pensar que o meu tempo já não será muito longo, pelo que será inteligente  agarrar o que me resta com todas as forças do meu ser. 
Pensar que tenho de "viver" os netos que Deus me deu, e que adoro, - O Vi e o Mimi - até à exaustão.
Idem, no que se refere aos meus filhos que foram a melhor obra de arte de toda a minha vida terrena.
Mostrar igualmente à minha mãe - e ter a capacidade de lhe dizer -  o quanto a amo e como continua a ser um dos meus pilares.
Agradecer e retribuir o amor e a dedicação de todos os familiares que me estimam. Agradecer aos meus amigos em geral - não os nomeio porque eles sabem  bem quem são -  a paciência que têm tido para me aturar nos maus e nos bons momentos.
E é nesta linha de pensamento, que  partilho  um poema de Pablo Neruda - já conhecia e acho maravilhoso - que recebi há poucos minutos de um desses amigos de há muitos anos.  Faço saber que a leitura do mesmo me fez retroceder no tempo e contribuiu de forma significativa para os meus estados de alma do momento. Para o Zé P. um grande obrigada!! 
 Muere lentamente
quien evita una pasión y su remolino
de emociones,
justamente estas que regresan el brillo
a los ojos y restauran los corazones
destrozados.
Muere lentamente
quien no gira el volante cuando esta infeliz
con su trabajo, o su amor,
quien no arriesga lo cierto ni lo incierto para ir
detrás de un sueño
quien no se permite, ni siquiera una vez en su vida,
huir de los consejos sensatos...
¡Vive hoy!
¡Arriesga hoy!
¡Hazlo hoy!
¡No te dejes morir lentamente!
¡NO TE IMPIDAS SER FELIZ!

Texto de Pablo Neruda. Parabéns hoje