domingo, 27 de janeiro de 2013

Apetites... de Inverno!

 
Como diria um amigo meu - sabendo ele que não aprecio o inverno -, há que saber tirar partido das coisas boas de cada  uma das estações do ano. OK! Foi o que hoje fiz... e soube-me muito bem esta tarde no conforto da minha casa fazendo coisas de que gosto! As fatias douradas constituem um apetite antigo que, cá em casa, surge habitualmente nos fins de semana mais frios.  E esta cinzenta e chuvosa tarde de domingo mostrou-se muito apelativa. Então, deitei mãos à obra e confecionei as ditas, que depois gulosamente deglutimos - como lanche ajantarado - acompanhadas/ regadas com uma bebida -  Chá/ leite - bem quentinha.
 
Este é um doce tradicional de natal na mesa dos portugueses - na minha mesa não, sou uma exceção -  conhecido habitualmente, consoante as regiões do país, como rabanadas ( região norte) e  fatias douradas ou fatias paridas (região sul ). 
Não será demais lembrar que o nome fatias paridas se deve ao facto de em tempos passados, nos meios rurais, as mesmas serem dadas às mulheres que acabavam de dar à luz, porque se acreditava que este alimento, por ser rico em ovo, açúcar, leite e pão, alimentava bem a mãe e fazia subir o leite materno para alimentar o bebé.
 
Partilho a receita deste saboroso doce que - esqueçamos as calorias -, é muito fácil e rápido de fazer e muito reconfortante para o estômago, nestes meses frios!
 
Ingredientes:
 
1 pão duro (de preferência pão de forma, de padaria)
ovos q.b.
leite q.b.
2 colheres de sopa de  açúcar
1 pau de canela
1 casca de limão
óleo (para as fritar)
 
açúcar e canela em pó q.b. (para as polvilhar)
 
Preparação:
 
Corta-se o pão em fatias com cerca de 1,5 cm de espessura.
Ferve-se o leite com  as 2 colheres de açúcar, o pau de canela e a casca de limão.
Batem-se os ovos. Passam-se as fatias de pão primeiro pelo leite e depois pelos ovos. Fritam-se em óleo quente e escorrem-se em papel absorvente.
Servem-se polvilhadas com açúcar e canela.
 
Entusiasmem-se e... BOM APETITE!