domingo, 27 de maio de 2012

No Banco Alimentar...


Acedi ao pedido!... Desta forma, a minha vida vai continuando a fazer sentido!
Das 11 às 13 horas, em equipa com uma amiga, estive no Hiper do Lidl, na Campanha de Recolha de Alimentos, que decorreu nestes dois dias, 26 e 27 de Maio.
Foi a 1.ª vez que participei, como voluntária, nesta atividade e apraz-me fazer mais um elogio aos  portugueses que, de coração grande e generoso, mostram que a  solidariedade deste povo é ainda maior do que a crise que  atravessa.
Poucas foram as pessoas que, interpeladas  neste  2.º dia de campanha, não deram o seu contributo.
E os que não o fizeram, de semblante carregado e olhar triste  (pobreza envergonhada), lá iam dizendo, deixando-nos o coração apertadinho : "bem que eu gostava..." ; "eu, também  preciso..."; " pois...não posso".
Também por ali passaram os que sempre carregaram o fardo da pobreza. Ao serem abordados, respondiam com um sentimento de revolta e somente com o monossílabo: NÃO!
Os outros, a quem os proventos ainda vão sendo suficientes, felizmente em número razoável, balbuciavam: "contribuí ontem e hoje faço-o outra vez com muito gosto"  ou "vim aqui de propósito porque sei que esta campanha acaba hoje e ainda não contribuí"...

Todos sabemos que, tendo em conta a conjuntura atual, cada vez há mais pessoas perto do limiar da pobreza, nomeadamente idosos e famílias com dois ou três filhos. A solidariedade é um valor fundamental para a diminuição ou, se possível,  erradicação da pobreza neste nosso bonito país à beira mar plantado. Devemos, todos juntos, enfrentar este problema e, desta maneira, contribuir para uma  maior justiça social e maior inclusão.

Compete também aos governos acabarem, de uma vez por todas, com a corrupção e a má administração dos dinheiros públicos e esforçarem-se no sentido de um maior investimento na criação de infraestruturas de apoio à pobreza através da criação de empregos, habitação condigna, maior facilidade de acesso à educação e saúde e...

Recordemos o que, neste âmbito, nos diz a Declaração Universal dos Direitos do Homem: "Toda a pessoa tem direito a um nível de vida suficiente que lhe assegure e à sua família, a saúde e o bem estar, principalmente quanto à alimentação, ao vestuário e ao alojamento, à assistência médica e ainda aos serviços sociais necessários".

SEJAMOS SOLIDÁRIOS!! Juntos, podemos fazer a diferença!