sexta-feira, 1 de março de 2013

Um grande, grande amor...

Não, não conhecia Marina Abramovic antes da minha primeira viagem a Nova Iorque. O meu primeiro e único contaco com ela aconteceu aquando da minha visita ao MoMa, no ano de 2010. Encontrei-a sentada a uma secretária numa das salas daquele  museu, onde decorria uma exposição da sua obra, para compartilhar um minuto de silêncio com cada visitante que manifestasse o desejo de se sentar à sua frente. Eu não me sentei, mas observei Marina e algumas das pessoas que se sentaram junto dela  no tempo em que por ali permaneci.
Para dizer a verdade, achei um pouco estranho, mas pensei: OK! Os artistas têm destas coisas...

Regressei a Portugal e...  volto agora - passados que são quase 3 anos - a este assunto porque me deparei com o vídeo que faz referência ao reencontro de Marina com Ulay, ( o grande amor da sua vida). Chegou inesperadamente e sentou-se à sua frente como se fosse um estranho - que não era - para esse  tal minuto de silêncio... O amor também  tem destas coisas...

Resumidamente, a bonita e verídica história de amor é esta:
Nos anos 70, Marina Abramovic, uma performer de nacionalidade sérvia, protagonizou uma intensa e bonita história de amor com Ulay (também ele artista, mas alemão), que durou cerca de 13 anos.
Durante 5 anos viveram num furgão, fizeram inúmeras viagens e foram realizando todo o tipo de performances.
A dada altura, quando perceberam que a  relação já não fazia sentido, decidiram separar-se. Não sem antes percorrerem, de uma forma especial, a Grande Muralha da China.
Cada um começou a caminhar de um lado, para se encontrarem a meio da mesma - caminharam cerca de 3 meses - e aí darem um último e grande abraço de despedida. Juraram que nunca mais voltariam a encontrar-se.
Vinte e três anos volvidos, mais precisamente no ano de 2010, quando Marina já era uma artista consagrada, o MoMa  de Nova Iorque homenageou a sua obra. Nesta retrospetiva, numa das iniciativas da exposição,  Marina compartilhava 1 minuto de silêncio com cada estranho que se sentasse à sua frente. Ulay chegou sem que ela soubesse e foi assim...  o inesperado reencontro... como se pode ver neste vídeo.
 
O amor tem destas coisas!!!